Artigos

Home > Artigos > História Medieval > Dia dos Namorados vs Dia de São Valentim

06 fev

Dia dos Namorados vs Dia de São Valentim

História Medieval Por: Jason Jr. Comentários

No dia 13 de junho, tradicionalmente, os católicos no Brasil comemoram o dia de Santo Ântonio, conhecido como santo casamenteiro português. Por isto o dia 12 de junho foi escolhido pelo publicitário baiano João Dória¹, em 1949, para alavancar as vendas no comércio paulista, afinal neste mês geralmente não atraia um bom número de vendas. Esta estratégia faz sentido ao vermos os números de vendas nos Estados Unidos.

 

Claramente João Dória se inspirou no feriado (comercial) estadunidense que hoje em dia rende milhões de dolares, sendo mais de 1 bilhão de cartões (valentines) vendidos, 220 milhões de flores e 35 milhões de caixas de bombons em fomato de coração. Isto sem contar as 6 milhões de pessoas que aproveitam a data para pedir os seus parceiros em casamento ou até mesmo se casam neste período, gerando mais alguns milhões de dolares em jóias, festas e roupas.

 

Mas o feriado de São Valentim, a priore, não tinha intenções comerciais.

 

No século III, o Imperador romano Cláudio II (213 - 270) proibiu os casamentos, pois acreditava que os homens sem respobalidade familiares seriam melhores soldados e se alistariam mais facilmente ao seu exército. Durante o seu governo (268 - 270) o exército romano fez campanhas grandiosas contra os Alamanos e os Godos, obtendo derrotas contra Palmira e os territórios Gauleses. Cláudio II também  incentivava o culto monoteista ao Deus Sol, combatendo o avanço do culto ao cristianismo. 

 

Contrariando as ordens do imperador, o bispo Valentim continuou a realizar casamentos (cristãos) em segredo. Porém, a prática foi descoberta pelo Imperador que declarou a prisão de valentim para ser executado em público.

 

No período que ficou preso, os jovens de Roma jogavam flores e cartões, nas portas da prisão, declarando que ainda acreditavam no amor. Entre estes jovens estava Artérias, a filha do cega do carcereiro, que conseguiu a autorização do próprio pai para visitar Valentim diáriamente.

 

A mitologia de São Valentim diz que Artérias ao se apaixonar pelo bispo, milagrosamente, voltou a enxergar. Assim, ele escreveu um bilhete para a amada declarando também o seu amor e assinando " de seu Valentim", expressão ainda usada nos cartões enviados por amantes até hoje através dos cartões apelidados de Valentines.

 

Valentim foi decaptado em 14 de fevereiro de 270. Mas foi somente em 496 que o Papa Gelásio I nomeou Valentim como o símbolo dos apaixonados. 

 

Surante a Idade Média as comemorações do dia de São Valentim eram feitas através de rituais de fertilidade, onde as condutas da Igreja Católica eram quebradas, as mulheres casadas poderiam flertas com quem quisessem e com a permissão de seus maridos. Obviamente esta prática foi combatida pela Igreja até o século XVII.

 

Mas a partir 1969 a Igreja Católica não reconhece a legitimidade da história de São Valentim, pois as histórias sobre o bispo e até mesmo a sua existência são questionáveis e não há registros confiáveis.

 

¹ João Dória foi um publicitário, psicólogo, advogado e deputado federal brasileiro. Pai do atual prefeito de São Paulo-SP.

Comente abaixo sobre esse post:

Copyright © História Estúdio - 2019