Notícias

Home > Notícias > História Medieval > Encontrado mosteiro de uma princesa do século VII, na Escócia

20 mar

Encontrado mosteiro de uma princesa do século VII, na Escócia

História Medieval Por: Jason Jr. Comentários

Na Escócia, arqueólogos acreditam ter encontrado vestígios do que deve ser um mosteiro de uma princesa que possivelmente viveu no local no século VII. A escavação ocorre na Área de Conselho da Scottish Borders, segundo informações da rede britânica BBC.

De acordo com relatos históricos o mosteiro foi fundado a cerca de 1400 anos na vila de Coldingham por uma princesa, que se tornaria abadessa. Mas o local foi invadido e destruído pelas invasões Vikings no século IX.

A princesa Æbe nasceu pagã, mas devido a expansão do cristianismo ela tornou-se cristã e foi responsável por difundir esta religião pela costa nordeste da grã-bretanha, durante o século VII. Construiu o mosteiro no Sudeste da Escócia e foi nomeada líder religiosa da região.

Æbbe é uma figura extraordinária. Um exemplo de uma poderosa mulher anglo-saxônica que desempenhou um papel importante no estabelecimento do cristianismo na região durante o século VII. Agora que temos provas para identificar exatamente onde ficava o seu mosteiro, podemos ajudar a trazer sua história de volta à vida. - Manda Forster, arqueóloga da DigVentures

Os pesquisadores estão buscando vestígios do mosteiro a décadas, tentando encontrar sua localização exata. E devido as escavações feitas pelo grupo DigVentures, coordenado por arqueólogos do Reino Unido e financiados por crowdfunding, foi possível descobrir uma vala estreita e circular que eles acreditam ser a fronteira que delimitava e cercava o assentamento religioso (estas valas são chamadas de Vallum).

Vallums não eram necessariamente profundas, intimidando estruturas defensivas, mas mais como um marcador simbólico para mostrar que se estava a entrar num um lugar venerado ou espiritual - Maiya Pina-Dacier, Chefe da DigVenture

Em momentos anteriores a esta descoberta, os pesquisadores haviam descoberto uma pilha gigante de ossos de animais, incluindo cavalos, bovinos, porcos, aves, veados, ovelhas e cabras. E fizeram testes de carbono para terem a média de datação destas ossadas e foi descoberto que elas datavam entre 664 e 864. Acredita-se que este foi o período de funcionamento do mosteiro da princesa Æbe.

Esse é exatamente exatamente o período de existência do mosteiro de Æbbe. Originalmente construído em torno de 640 d.C., diz-se que ele foi incendiado pouco depois da morte dela, mas foi reconstruído e prosperou até ser destruído mais uma vez pelos invasores vikings, 200 anos depois. É maravilhoso finalmente poder anunciar que encontramos o mosteiro de Æbbe e confirmar que parte dele está provavelmente sob o Priorado de Coldingham. - Manda Forster, arqueóloga da DigVentures

Æbbe era filha do Rei Æthelfrith da Nortúmbria, provavavelmente nasceu em 615. Ela e seus irmãos, futuros reis Oswald e Oswiu, fugiram para o oeste da Escócia assim que seu pai morreu em batalha. Lá tornaram-se cristãos.

A princesa sempre foi retratada como uma pessoa bondosa e piedosa, por diversos relatos dos seus contemporâneos. Mas há relatos de que durante sua velhice a princesa não conseguia mais governar o mosteiro com firmeza, levando os padres e freiras a se entregarem a bebedeiras, festins e frivolidades. O abade de Iona, Adomnan, proferiu que o mosteiro cairia em chamas, assustando a princesa, mas a acalmou informando que isso só aconteceria após sua morte, como de fato ocorreu, destruindo o edifício. 

Comente abaixo sobre esse post:

Copyright © História Estúdio - 2019