Notícias

Home > Notícias > Arqueologia > Missão Arqueológica da UFMG no Egito encontra nova tumba

20 mar

Missão Arqueológica da UFMG no Egito encontra nova tumba

Arqueologia Por: Jason Jr. Comentários

Em janeiro de 2019, uma equipe de arqueólogos brasileiros foi direcionada para uma viagem cientifica no Egito. Partindo de Luxor, no sul do Egito, para explorarem a Tumba 123 na região da antiga Tebas. Esta expedição é coordenada pelo professor José Roberto Pellini e foi nomeada de Programa Brasileiro de Arqueologia no Egito. (mas é abreviado para Bape, que seria a sigla em inglês do programa).

Esta equipe de arqueólogos coordenados por pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) explorou a inédita Tumba Tebana 123, rendendo mais resultados positivos do que eles poderiam planejar. Confirmando que logo abaixo da primeira tumba eles conseguiram revelar e descobrir uma segunda tumba. A descoberta foi revelada no dia 14 de março de 2019 na TV UFMG.

De acordo com o coordenador do programa, a segunda tumba é posterior a tumba 123. Foram encontrados sete individuos enterrados no local, mas há a possibilidade de outras familias terem vivido na tumba em momentos mais recentes.

O programa começou em 2016 na região, fazendo limpeza e reconhecimento do local a ser explorado. Lembrando que é a primeira vez que uma equipe coordenada por brasileiros é autorizada a fazer pesquisas e escavações no antigo país africano. E durante este processo foi possível encontrar alguns fragmentos de artefatos antigos em estado satisfatório para a pesquisa cientifica.

Pedaços de sarcófagos, por exemplo, foram encontrados com desenhos e cores muito bem preservados, o que indica que o que está dentro da tumba também pode ter as mesmas características - José Roberto Pellini

A descoberta da nova tumba abriu novas possibilidades de pesquisa, levando o grupo a planejar a próxima visitação ao campo arqueológico para mais pesquisas no local, somente em 2020.

Um dos objetivos do Programa Brasileiro de Arqueologia no Egito é digitalizar em 360° todo o ambiente explorado nas escavações, para que pessoas do mundo todo possam ter acesso as imagens via Realidade Virtual.

 

Fonte:

https://www.hojeemdia.com.br/horizontes/miss%C3%A3o-da-ufmg-no-egito-descobre-outra-tumba-ao-explorar-estrutura-in%C3%A9dita-1.700927?fbclid=IwAR31b-ZC1GDQY6vAQ3PlX6ykf_E2Uintp_szp1insSRgHwxOl-v-LtSMPo8

Comente abaixo sobre esse post:

Copyright © História Estúdio - 2019