Resenhas

Home > Resenhas > História da América > Uma breve resenha sobre a Colonização da América

05 out

Uma breve resenha sobre a Colonização da América

História da América Por: Jason Jr. Comentários

Você pode baixar o PDF completo com esta resenha e as questões aqui.

O continente americano foi colonizado primeiramente pelos portugueses e espanhóis, no século XVI, mas posteriormente os franceses e britânicos também estabeleceram relações de dominação e conquista em diversos pontos do “Novo Mundo”.

Resumidamente podemos considerar que estas nações europeias uti lizaram duas estratégias de colonização distintas.

A primeira delas foi adotada por Portugal e Espanha, sendo muito usada no princípio do descobrimento e do povoamento da América. Mas também foi uti lizada na África e na Ásia.

Esta primeira estratégia é baseada na Exploração, focando nas riquezas naturais (madeiras, pedras preciosas, frutos, entre outros) e o cultivo de bens tropicais (cana-de-açúcar, café, látex, especiarias, entre outros). Além de explorarem a mão de obra Nativa Americana e o intenso comércio de mão de obra Africana.

Este processo de exploração intensa, promovido pelos países ibéricos, gerou uma herança de atraso socioeconômico nas suas antigas colônias.

A outra estratégia foi baseada no Povoamento e utilizada principalmente pelo Reino Unido. Neste método de colonização a intensão não era explorar as riquezas da terra para enriquecer a metrópole, mas explorar os recursos para a subsistência dos habitantes estabelecidos nos povoados das colônias.

As riquezas produzidas, geralmente eram comercializadas entre as colônias britânicas e ajudavam a construir povoados mais fortes, mesmo tendo escravidão e exploração, pois estes eram em escalas muito menores.

Este tipo de colonização foi fundamental para a independência das “13 Colônias da Nova Inglaterra”, contribuindo também com o crescimento e união delas. Assim como para o atual Canadá. Hoje os dois países têm reflexos positivos desta forma de colonização.

Vale lembrar que o Canadá ainda se considera súdito da família real britânica. Mas é independente do parlamento inglês.

Vamos entender um pouco mais a fundo a colonização de cada uma destas civilizações europeias na América:

Espanha: Os espanhóis fizeram a colonização mais sanguinária de todas, ao entrarem nos territórios das grandes civilizações nativo americanas, eles levaram doenças da Europa para a América, escravizaram e exploravam a mão de obra nativa e fizeram guerras de destruição quase total destes povos.

Sabemos que por volta de 1519 os Astecas foram eliminados no México, pelo conquistador Hernán Cortez. Assim como eles exterminaram os Inca, no comando de Francisco Pizarro, no Peru em 1532.

Eles dominavam a maior quantidade de territórios do “Novo Mundo” (como podemos ver no mapa, que acompanha este artigo), sendo assim, apoderaram-se de uma vasta mão de obra nativa para a exploração de metais preciosos diversos.

A terra era dividida entre os colonos espanhóis através dos Repartimientos (semelhante a Mita Inca) e através da Encomienda eram entregues um determinado número de nativos para o trabalho.

O Repartimiento, na verdade, era uma modalidade já conhecida pelas populações indígenas anteriormente subjugadas ao império inca (mita) e asteca (cuatéquil). Esse tipo de sistema era usualmente gerido através de um sorteio onde os índios selecionados deveriam trabalhar compulsoriamente durante certo tempo.


[...]a Encomienda não é uma concessão de terras, mas uma concessão de recolhimento de tributos. Diferentemente do que ocorre com a escravidão, não é perpétua nem transmitida hereditariamente, já que os nativos, ao menos juridicamente, foram tomados não por propriedade, mas por homens livres, embora seja possível uma aproximação entre ambas, dado que são expressões da forma de trabalho compulsório. [...]


Em 1503 foi criada a Casa de Contratação, que detinha o monopólio das mercadorias comercializadas entre a América e a Espanha, também distribuía a administração dos territórios colonizados entre 4 vice-reinados (Nova Espanha, Nova Granada, Peru e Rio da Prata) e as 3 capitanias gerais (Cuba, Guatemala e Venezuela).


Esta fragmentação da América Espanhola facilitou a divisão territorial da América após as independências, dando origem a alguns países existentes até hoje.

Portugal: Os portugueses passam a ocupar efetivamente o território americano, com a implantação das capitanias hereditárias e das sesmarias. Fortalecendo a pecuária, a agricultura de subsistência, a mineração e o mercado de escravos africanos.

As missões jesuíticas contribuem muito para a expansão da ocupação portuguesa no interior do território americano (o que hoje corresponde ao Centro-Oeste e Norte do Brasil).

Reino Unido: As 13 colônias da Nova Inglaterra foram formadas por pequenos e médios proprietários de terras, refugiados políticos e protestantes calvinistas (expulsos do Reino Unido). Sua organização era quase inteiramente formada por trabalhadores livres.

Há o crescimento de uma pequena atividade industrial nas colônias do Centro-norte, desenvolvendo a região que passa a escoar o excedente para os mercados do Sul.

Possibilitando futuramente o fortalecimento destas colônias, contra a Coroa Britânica.

Também foi criado o comércio triangular, onde os comerciantes da Nova Inglaterra fabricavam rum para ser trocado por escravos no Caribe e nas colônias do Sul implantaram a monocultura do algodão destinada a exportação.

Este sistema de comércio triangular, gera grandes proprietários de terras e grandes comerciantes. Mesmo sendo submissos ao Reino Unido, estes homens ricos criam uma espécie de autogoverno nas 13 colônias, o que vai contribuir muito para a luta de independência no século XVIII.

França: O povoamento é pequeno e as colônias acabam servindo apenas como postos comerciais e estratégicos.

Ocupando algumas ilhas no Caribe, uma grande parte do território central da América do Norte (nas regiões dos Grandes Lagos e do rio São Lourenço), fundaram a cidade de Nova Orleans e no atual Canadá (Nova França), criaram a cidade de Quebec (que até hoje usa o francês como idioma oficial).

Também ouve a breve ocupação dos territórios da América Portuguesa, com os projetos intitulados: França Antártica e França Equinocial.

 

 Questões:

  • (Fuvest) No século XVI, a conquista e ocupação da América pelos espanhóis: 


a) Desesti mulou a economia da metrópole e conduziu ao fi m do monopólio de comércio.
b) Contribuiu para o crescimento demográfico da população indígena, concentrada nas áreas de mineração.
c) Eliminou a parti cipação do Estado nos lucros obti dos e benefi ciou exclusivamente a iniciati va privada.
d) Dizimou a população indígena e destruiu as estruturas agrárias anteriores à conquista.
e) Impôs o domínio políti co e econômico dos criollos.

 

  • Os espanhóis chegaram ao conti nente americano em 1492, com o navegador genovês Cristóvão Colombo no comando das naus. Entretanto, a colonização só tomou fôlego com a descoberta dos metais preciosos nas áreas das grandes civilizações pré-colombianas, principalmente depois das expedições de Hernán Cortéz.  A ação deste conquistador espanhol ocorreu sobre qual povo e em qual região do conti nente americano:


a) Sobre os incas, na região andina.
b) Sobre os Astecas, nos territórios onde hoje se localiza o México.
c) Sobre os maias, na região amazônica.
d) Sobre os tupis-guaranis, na bacia do Prata.

 

  • (FEI-SP) As duas principais ati vidades econômicas que Portugal e Espanha incentivaram na América, no início da colonização, foram, respecti vamente:


a) Cacau na América portuguesa e a mineração da prata e do ouro na América espanhola.
b) A mineração na América Portuguesa e a monocultura do tabaco na América espanhola.
c) A monocultura da cana de açúcar na América portuguesa e a pecuária na América espanhola.
d) A monocultura da cana de açúcar na América portuguesa e a mineração de ouro e de prata na América espanhola.
e) A monocultura do algodão na América portuguesa e a pecuária na América espanhola.

Comente abaixo sobre esse post:

Copyright © História Estúdio - 2019